38º Congresso da ABRAPP

No âmbito de Cooperação com as entidades que gerem o sistema de Protecção social de outros países, a CPS/MININT foi convidada a participar no 38º Congresso da ABRAPP, que decorreu sob lema “Por uma Previdência Complementar para todos, reforcemos a gestão de planos de beneficios”. 
O evento congregou cerca de 3000 participantes, de diversos  a países dentre os quais a Delegação da CPS que  foi encabeçada pelo Dr Miguel Antônio Chaves, Director Geral Adjunto; Dra Sandra Montenegro Gamba, Chefe do Gabinete Jurídico; Dr Françony de Almeida Ucuassapi, Chefe do Gabinete de Estudos e Orientação; Dra Teresa Sotto Mayor, Chefe do Departamento de Protecção social e Dr Anacleto Bianda, Chefe do Gabinete do Director Geral. 
Debateram-se diversos temas, destacando; Os desafios da  proteção complementar no mundo contemporâneo; Investimentos Externos como parte da garantia de estabilidade de  fundos; As taxas de Juros Actuarial, Visão e estratégia das organizações de previdência social; A gestão de Riscos numa visão a curto, médio e longo prazo; As boas práticas de gestão de fundos públicos e outros. 
A Delegação da CPS, além de assistir o congresso,  foi recebida em audiência pelo Director-Presidente da UNIABRAPP, onde manifestou intensões de cooperação em assistência e formação técnico-profissional. Aquela entidade concordou com a proposta, tendo avançado a necessidade de se elaborar o conteúdo programático de todos cursos da UNIABRAPP.
A Previdência Social em Angola, tem ganho confiabilidade nos seus segurados, porque hoje, todos que contribuem no sistema, ao passar a Reforma têm garantia de serem pagos as suas pensões.  Assim urge a necessidade de cada vez mais profissionalizar os seus técnicos por forma a darem resposta necessária na gestão deste mesmo sistema. Neste contexto, a cooperação com instituições que já estão no mercado há tantos anos, constitui um imperativo dessas organizações. Pelo que, para uma gestão actuante, parcimoniosa com critérios de diversificação de fontes de receitas  assentes no princípio do bem saber, a CPS vai continuar a colaborar com outras entidades para fortalecer o sistema de Protecção Social obrigatória em Angola.
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.